Número total de visualizações de página

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Sinto


Sinto-me a perder o controle do rumo da minha vida. Sinto o caos no ar, a pairar sobre a minha cabeça. Antecipo despedidas, perdas e novas angústias. Sinto medo, aquele que não nos permite ver mais além, mais nada, nenhuma luz ao fundo do túnel.
E sinto-me a fazer o papel da desgraçadinha que odeio profundamente.
Mas sinto.

Este blog está a ficar impróprio para consumo. Eu entendo.

sábado, 28 de abril de 2012

Isto está uma caca...




Ontem tive um dia muito difícil, com carradas de nervos.Tudo culpa do meu feitio de merda, das coisas que vejo e sinto muito para além do que me mostram.O resultado foi uma enxaqueca de levar aos vómitos e o estômago todo embrulhado. O dia hoje não ajudou, choveu que se fartou e nem saí de casa.
A minha filha acompanhou o meu marido às compras. Fiquei entre a cama, o sofá e os chás. Pouco ou nada disse o dia todo, consumida nesta tristeza e mal estar.

Mas ganhei margaridas. Brancas e amarelas.
E outros mimos. De onde menos esperei.
Obrigada J.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Que há-de ser de nós?



Já viajámos de ilhas em ilhas
já mordemos fruta ao relento
repartindo esperanças e mágoas
por tudo o que é vento

Já ansiámos corpos ausentes
como um rio anseia p'la foz
já fizemos tanto e tão pouco
que há-de ser de nós?

Que há-de ser do mais longo beijo
que nos fez trocar de morada
dissipar-se-á como tudo em nada?

Que há-de ser, só nós o sabemos
pondo o fogo e a chuva na voz
repartindo ao vento pedaços
que hão-de ser de nós

Já avivámos brasas molhadas
no caudal da lágrima vã
e flutuando, a lua nos trouxe
à luz da manhã

Reencontrámos lágrimas e riso
demos tempo ao tempo veloz
já fizemos tanto e tão pouco
que há-de ser de nós

Que há-de ser da mais longa carta
que se abriu, peito alvoroçado
devolver-se-á: «endereço errado?»

Que há-de ser, só nós o sabemos
pondo o fogo e a chuva na voz
repartindo ao vento pedaços
que hão-de ser de nós

Já enchemos praças e ruas
já invocámos dias mais justos
e as estátuas foram de carne
e de vidro os bustos

Já cantámos tantos presságios
pondo o fogo e a chuva na voz
já fizemos tanto e tão pouco
que há-de ser de nós?

Que há-de ser da longa batalha
que nos fez partir à aventura?
que será, que foi
quanto é, quanto dura?

Que há-de ser, só nós o sabemos
pondo o fogo e a chuva na voz
repartindo ao vento pedaços
que hão-de ser de nós.

Sérgio Godinho



quarta-feira, 25 de abril de 2012

1974

Não consigo dizer nada. As sensações e pensamentos são tantos, que tudo se atropela. E depois já li e ouvi tanta atrocidade, que tenho a minha dose por hoje.
Continuo a gostar de um 25 de Abril, acontecido em 1974.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Eu comigo



A minha personalidade foi definida por um psiquiatra como "controladora", portanto se eu disser que estou na minha praia, não me sinto assim tão egoista. Para suavizar posso dizer que aqui está ela só para mim.


Eu o mar e sol. Tento ler mas para já não consigo. Preciso da fusão com cada grão de areia de sentir a brisa e o cheiro. E fico assim neste tupor deslumbrada com esta paz e calmaria. Neste longe e perto de mim, sem medo de me enfrentar.




 Entro no mar frio e sabe bem. Limpo as minhas pedras, a minha alma e o meu corpo. Agradeço o regresso e o prazer deste sentir há tanto esperado. Perco-me e encontro-me em pensamentos. Pessoas, lugares, outros mares. E há barcos à vela lá ao fundo. As emoções chegam em forma de lágrimas serenas.




Percebo que a minha filha me faz falta, aqui e agora, a nossa cumplicidade é bonita e é-me fundamental.
Vou sonhando...como consigo ser uma mulher adulta, mãe, profissional, (forte) prática? Quero sereias, príncipes encantados, amantes longínquos e contos de fadas.
Há tantas outras em mim... 

terça-feira, 17 de abril de 2012

"O essencial é invisível aos olhos"

Saúde:

1.     Bebe muita água
2.     Come ao pequeno-almoço como um rei, ao almoço como um príncipe e ao jantar como um pedinte;
3.     Come o que nasce em árvores e plantas e menos comida produzida em fábricas;
4.     Vive com os 3 E's: Energia, Entusiasmo e Empatia;
5.     Arranja tempo para meditar e orar;
6.     Joga mais jogos;
7.     Lê mais livros do que leste em 2011;
8.     Senta-te em silêncio pelo menos 10 minutos por dia;
9.     Dorme 7 horas por dia;
10.   Faz caminhadas de 10-30 minutos por dia, e enquanto caminhas sorri.


 Personalidade 

11.   Não compares a tua vida com a dos outros. Não fazes ideia de como é a sua caminhada;
12.   Não tenhas pensamentos negativos ou coisas que não controlas;
13.   Não te excedas. Mantém-te nos teus limites;
14.   Não te tornes demasiado sério.
15.   Não desperdices a tua energia preciosa em "fofoquices";
16.   Sonha mais acordado;
17.   Inveja é uma perda de tempo. Já tens tudo que necessitas....
18.   Esquece questões do passado. Não lembres o teu parceiro dos seus erros do passado. Isso destruirá a vossa felicidade presente;
19.   A vida é curta de mais para odiar alguém. Não odeies os outros.
20.   Faz as pazes com o teu passado para não estragares o teu presente;
21.   Ninguém comanda a tua felicidade a não ser tu;
22.   Tem consciência que a vida é uma escola e que estás nela para aprender. Problemas são apenas parte do curriculum que aparecem e se desvanecem como uma aula de álgebra, mas as lições que aprendes perduram uma vida inteira;
23.   Sorri e ri mais;
24.   Não necessitas de ganhar todas as discussões. Aceita a discordância;


 Sociedade:


25.   Contacta a tua família e os amigos frequentemente;
26.   Dá algo de bom aos outros diariamente;
27.   Perdoa a todos, por tudo;
28.   Passa tempo com pessoas acima de 70 anos e abaixo de 6;
29.   Tenta fazer sorrir pelo menos três pessoas por dia;
30.   Não te diz respeito o que os outros pensam de ti;
31.   O teu trabalho não tomará conta de ti quando estás doente. Os teus amigos e familiares fá-lo-ão. Mantém contacto com eles.


 A Vida:

32.   Faz o que é correcto;
33.   Desfaz-te do que não é útil, bonito ou alegre;
34.   O poder divino e o tempo curam tudo;
35.   Por muito boa ou má que a situação seja.... Ela mudará...
36.   Não interessa como te sentes, levanta-te, arranja-te e aparece;
37.   O melhor ainda está para vir;
38.   Quando acordas de manhã, agradece pela graça de estares vivo.
39.   O teu interior está sempre feliz. Portanto sê feliz.

O AMOR é eterno



Adormeci a chorar, com uma tristeza que não soube descrever. Devem ser as hormonas...
Acordei na mesma.
Durante a viagem de carro, tocou Queen "I was born to love you". Durante a  manhã e ao aparecer a data, percebi tudo. Estúpidos sinais que insistem em revelar-se. Em fazer-me lembrar que quero esquecer estes dias.

Hoje farias 47 anos.
A morte veio anunciada, de fininho, má! E roubou-nos tempo, partilhas e cumplicidades.

Mas estás por aqui. Eu sei.

Ainda te amo, "Fantalinho"

(Ao meu querido primo Fernando)

segunda-feira, 16 de abril de 2012

A Minha Saudade Tem o Mar Aprisionado


A minha saudade tem o mar aprisionado
na sua teia de datas e lugares.
É uma matéria vibrátil e nostálgica
que não consigo tocar sem receio,
porque queima os dedos,
porque fere os lábios,
porque dilacera os olhos.
E não me venham dizer que é inocente,
passiva e benigna porque não posso acreditar.
A minha saudade tem mulheres
agarradas ao pescoço dos que partem,
crianças a brincarem nos passeios,
amantes ocultando-se nas sebes,
soldados execrando guerras.
Pode ser uma casa ou uma rede
das que não prendem pássaros nem peixes,
das que têm malhas largas
para deixar passar o vento e a pressa
das ondas no corpo da areia.
Seria hipócrita se dissesse
que esta saudade não me vem à boca
com o sabor a fogo das coisas incumpridas.
Imagino-a distante e extinta, e contudo
cresce em mim como um distúrbio da paixão.

José Jorge Letria, in "A Metade Iluminada e Outros Poemas"

Sua Majestade



Sua Majestade o rei de Espanha Juan Carlos I, partiu a bacia, enquanto caçava elefantes no Botswana.
Parece que não informou que se ía ausentar do país, nem para onde.
A preocupação do governo é apenas e só, pelo estado da Nação, pelo dinheiro que se gasta em tempo de crise.
Eu vomitaria um monte de outras verdades e preocupações. Esta criatura gosta de matar, não é novidade.
Que pena tão grande!!!

domingo, 15 de abril de 2012

Eutanásia porque eu quero


  
Ir com o meu cão ao veterinário é uma tortura. Tem muito medo dos outros cães e só de perceber onde está, treme que nem varas verdes. O medo, estamos em crer que se deve a que o gato lhe "batia" quando ele chegou cá a casa com 2 meses. Hoje são amigos, brincam muito, mas na rua, tudo o que tenha 4 patas e se mexa deixa-o em pânico. Ontem coitado, para mal dos pecados dele o companheiro da sala de espera era um Mastin preto, doce que só ele, também nervoso, coitado, mas que o Pepper não podia nem encarar.
Entretanto, havia uma rapariga encostada ao balcão à espera de vez, sem qualquer animal com ela. Faço sempre os meus filmes mentais, pensei que fosse comprar qualquer coisa, como despasitantes ou assim, mas não.
Perguntou então quanto custava matar o cão do "patrão" um cobarde para começo de conversa. Mandou a empregada numa atitude muito" nobre". Que era um cão muito agressivo, que blá, blá, sim, que nem ouvi nada, já que desatei a falar sozinha, no meu português vernáculo.
O veterinário tentou dissuadi-la, apresentou-lhe folhetos de escolas de recuperação canina, apresentou-lhe um monte de alternativas e a outra só dizia que o senhor (dono do cão) era muito teimoso de ideias fixas e que tinha de chegar a casa com uma resposta, com um preço. Lá lhe disse, que dependia do peso do bicho, etc (como vos digo nem quis ouvir bem) e saiu porta fora.
Chegou a minha vez e claro, perguntei-lhe que raio de história era aquela. Ele, um rapazinho novo e muito carinhoso, só me dizia que mais não podia fazer, que não se podia negar a cumprir as ordens da casa, que o cliente tinha sempre razão na perspectiva dos donos da clínica (embora ele discordasse) mas que tinha fé que ao saberem o preço desistissem da atrocidade.
Receio bem que se não têm dinheiro para o fim, também não terão para os meios, que seria contratar serviços de ajuda para o pobre animal. Que lhe irá acontecer?

Abracei o meu Pepper, portou-se bem. Só não comeu o dia todo, mas hoje já marchou uma pratada. Está feliz e bem disposto a brincar com a "Jurema" e com as bolas.
E eu amo-o.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Já de volta


Mortinha de cansaço. Nada que uma boa noite de sono não cure.
Valeu o calor dos afectos e já só penso na próxima vez. Ou não vivesse eu, sempre a querer ir...

terça-feira, 3 de abril de 2012