Número total de visualizações de página

sábado, 20 de abril de 2013

Tudo o que amo mato (?)

 
 
 
 





O facto de eu acreditar que tudo o que amo mato, faz-me negar o amor que tenho à minha mãe.
Percebi tudo e nem por isso me sinto melhor. Sei que um dia não chego a tempo. Porque se acaba o tempo... mas não alivia a culpa...
Faz parte das coisas que não controlo e tenho muita dificuldade em aceitar. Como se me fosse exigido ser perfeita e não desiludir ninguém. Mas vou falhar.
Estou prisioneira do medo.


segunda-feira, 1 de abril de 2013

Borboletas brancas 29.03


 


Pai, sonhei contigo. Finalmente um sonho bom daqueles que esperava há quase 5 anos.
Fugi a meio da noite, em pijama e só levei o Pepper, fiel amigo em todas as horas. Ficou tudo para trás sem causar qualquer dor. Fugia das mentiras de uma vida vazia e inventada. Sem medo e sem nada, de pijama com o meu melhor amigo.
De repente estavas ao meu lado, a abraçar-me, a aprovar a minha decisão e senti que aprovarás todas as que vierem, porque me queres feliz. Senti o teu cheiro o teu calor e estavas lindo.
Obrigada pai adorado, por um sonho bom.

Ontem nas Azenhas não vi a nossa pomba branca, mas vi uma borboleta e o sol deu um ar da sua graça e veio beijar-me as faces. Sei que me esperavas.
Amo-te até ao fim de todas as vidas.