Número total de visualizações de página

domingo, 31 de julho de 2011

Por um fio

"Let us not pray to be sheltered from dangers but to be fearless when facing them."
- Rabindranath Tagore


É sempre assim. Quando tudo volta ao normal quando finalmente me poderia permitir relaxar, é quando nada disso acontece e fico de rastos.
Estou prestes a rebentar, porque tive de ser forte, porque sim e, agora as forças fogem-me. De nada me serve, está tudo tão desgastado que ninguém tem paciência para mim. Também todos os outros têm os seus limites e a sua maneira de sofrer.
Agarro-me à ideia das férias, aos sonhos acordada, em que estou com gente que amo, revisito memórias, tenho conversas imaginárias, faço passeios por sítios proibidos...

Só quero sentir-me em paz.
Também isto vai passar.

2 comentários:

Ana disse...

Estou-se-me mais ou menos igual, sendo que sou eu que estou com pouca paciência para mim :P
E nem comparo o desgaste que tu tiveste nos últimos dias, amor:)
E também me agarro à ideia das férias...
Beijos, muitos.

Luísa Lopes disse...

É o ?&%"%& do inferno astral:)
Beijos♥