Número total de visualizações de página

domingo, 2 de janeiro de 2011

As promessas de sempre



Não sou de fazer promessas, porque aprendi que o que se promete é para cumprir e, que a vida, está cheia de imprevistos que podem deitar por terra as boas intenções das quais está o inferno cheio. Não sou descrente, claro, mas prefiro estabelecer prioridades a curto prazo e alcançáveis.
Costumo fazer uma retrospectiva, perceber o que correu bem e menos bem, interiorizar e tentar não repetir erros antigos e fazer melhor para a próxima.Certifico-me de que estou em paz com a minha consciencia. que perdoei e fui perdoada, nas grandes e pequenas coisas.
Claro que desejo saúde, harmonia, força e coragem para ultrapassar as curvas sinuosas da vida e esperança. Mas tudo isto são desejos diários, para mim e para os que amo.
Olhando para trás, foi um ano positivo: comecei a trabalhar, houve saúde, fiz amigos e correu tudo normalmente, sem sobressaltos.
Gostaria de ver mais solidariedade e compaixão pelo próximo, pela natureza...Resta-me acreditar nos homens e mulheres de boa vontade, para que todas as diferenças, sobretudo as abismais, se possam ir dissipando.
Fico triste quando vejo pessoas próximas a passar dificulades, desgostos e sentir-me impotente ao não poder ajudar mais, enfim. Sabem que estou sempre aqui, pronta para ouvir, abraçar  dar colo. Cada um tem o seu percurso e crescemos todos juntos ao partillhar experiências.

Sobretudo, quero muito que sejamos felizes.

1 comentário:

Utena disse...

Ès uma mulher especial... adoro-te
Um ano de 2011 cheio de sucesso!
Beijos